Simone Silvério Fotografia | A doce espera pelo tempo dos bebês

A doce espera pelo tempo dos bebês

August 01, 2018  •  1 Comment

 

Não há nada nem ninguém no mundo que nos ensine mais a saber esperar que os bebês. Muitas vezes, a gravidez acontece sem a gente esperar mas, bastou o resultado do teste dar positivo que a luzinha da espera se ascende dentro da gente. E nasce aquela certeza de que, no fundo, a gente sempre esperou por esse momento: o filho é desejado desde sempre, desde quando a gente nem sabia disso. Meus quatro filhos foram desejados mais que tudo, cada um a sua maneira, no seu tempo. Depois de esperar os nove meses, aguardei ansiosa e atenta o primeiro sorriso, a primeira vez que falaram "mama", as primeiras passadas, o primeiro dentinho,  esperei cuidadosa as febres cederem, a conquista da alfabetização, os primeiros namoros, descobertas, decepções, alegrias, conquistas, crescimentos... E me sinto sempre assim: pronta para acompanhar toda fase, buscando paciência, serenidade, sabedoria só para ajudá-los no que der e vier.

Meus 4 bebês...

Aqui em cima meus 4 bebês...

 

Agora estou vivendo tudo novamente, de um jeito diferente e muito especial. Estamos, desde o final de semana, aguardando a chegada de Betina, minha netinha. Uma doce espera, marcada por muita expectativa, com a diferença de que agora também vivo simultaneamente os papéis de avó e de mãe, também com o amparo e cuidado com Gabi, minha filha. E a vontade imensa de ver seu rostinho, carregá-la nos braços, recebê-la nas nossas vidas. Uma espera gratificante porque sabemos que é pra sempre! 

 

Enquanto a Betina não chega, sigo preparando tudo. Depois de tricotar a decoração do quarto, da maternidade, as lembrancinhas, estou preparando o ensaio no meu estúdio, lógico! Já fiz bonequinha, raposinha, filtros dos sonhos, lavandas e estou fazendo eu mesma cada detalhe para cinco ou seis produções diferentes. Um exercício que faço com cada criança que recebo e que faz parte dessa arte de esperar com afeto, pensado e preparando cada detalhe do cenário, da decoração, dos adereços. Inclusive o molde da barriga em gesso que fizemos às pressas quando o médico disse que já estava com dilatação, e que a minha amiga e assistente Rafaela Schmidt registrou com muito carinho. Já imagino a emoção de colocar a Betina de volta na "barriga" da Gabi!!!

Um aprendizado que sempre utilizei e que vou acrescentar ainda mais na minha profissão. E os recém-nascidos, bebês e crianças que fotografo também me ensinam muito sobre essa arte de esperar. É mágico ver a vida se mostrando aos poucos, sem pressa, num calendário divino que sabe exatamente o momento certo para tudo acontecer. Isso é um aprendizado para a vida. Entender o tempo de cada fase da criança é se exercitar para respeitar também cada momento da trajetória de todas as pessoas.

 

É completamente diferente fotografar um recém-nascido, um bebê de três meses e um de seis meses. Com o newborn, entendemos suas prioridades, sua hora de mamar, do colinho, do soninho e, espectadores desse despertar da vida, aproveitamos os cochilos mais fofos do mundo com todo cuidado, eternizando esse instante lindo que passa tão rápido... Cada bebê é um indivíduo e tem seu próprio desenvolvimento mas, com cerca de três meses o bebê geralmente começa a ficar mais firme, com seis meses ele geralmente senta com apoio, fica de bruços, com 9 começa a querer engatinhar. Então pra cada fase eu me adapto a um tipo de ensaio, com diferentes poses e cuidados. Tem a fase que eles começam a sorrir, a reconhecer (e estranhar) pessoas, quando começa a olhar para os objetos. Para cada uma dessas épocas, utilizamos técnicas diferentes e os resultados são sempre lindos! Entender cada fase é essencial.

 

Sugiro às mães registrar esses períodos de troca de fases, pois é justamente nesses momentos que se pode notar transformações mais significativas nas crianças. Proponho ensaios aos três, seis, nove e doze meses ou então quatro, oito e doze meses. É claro que o bebê muda todos os dias mas, se você fizer um ensaio mensal, pode ficar meio repetitivo.

Em todos os casos, a base dessa construção é o respeito, iniciar um bom relacionamento com o bebê e com os pais. Tranquilidade, um ambiente preparado especialmente para recebê-los. Os bebês são muito sensíveis, se você está mal-humorada, agitada, nervosa ou irritada, ele não vai com você. O mais importante é ter jeito, paciência, entender que a foto não vai sair na hora que você quer, a foto vai sair na hora que o bebê estiver tranquilo. Um ensaio de bebês dura até quatro horas, às vezes, porque o bebê fica cansado e precisa dormir, mamar... O segredo é amar o que faz e conhecer esse universo dos bebês, estar envolvida. E, obviamente, tem que ser verdadeiro. Se não for verdadeiro, não sai. 

E é assim, da mesma forma, com essa verdade, esse cuidado, esse amor, que espero Betina pra me ensinar ainda mais.

 

Um abraço,

Simone Silvério.


Comments

Vanessa Cortiço Gasparino(non-registered)
Admiro muito seu trabalho, tenho uma pequena aqui em casa que adora uma câmera fotográfica tb! Abraços prima.
No comments posted.
Loading...